A obesidade é uma das maiores vilãs da sociedade contemporânea. Atualmente, existem mais pessoas obesas que abaixo do peso no mundo.

Ela é um fator de risco para diversas doenças, como doenças cardiovasculares, músculo-esqueléticas e alguns tipos de câncer.

Além disso, já existem evidências de que a obesidade é um fator de risco para o agravamento do quadro de pacientes infectados com Covid-19, podendo levar até mesmo à morte.

Embora esses efeitos da obesidade na Sars-Cov2 ainda não estejam bem descritos, é importante a cautela tanto para evitar a infecção pelo novo coronavírus quanto para o cuidado com os doentes que sejam obesos.

Tudo isso nos leva a refletir sobre a importância da adoção de hábitos saudáveis para combater a obesidade.

Vale lembrar que nossa luta não é contra os obesos e sim CONTRA A OBESIDADE!

O exercício físico é extremamente importante nessa luta. Então, Movimente!


REFERÊNCIAS:

DIETZ, W.; SANTOS-BURGOA, C. Obesity and its Implications for COVID‐19 Mortality. Letter to the Editor. Obesity Journal, v. 28, n. 6, 2020.

Who. Obesity and overweight. 2020.

Existe alguma dúvida por parte dos praticantes de musculação sobre qual a frequência de treino semanal ideal para obter melhores resultados.

Para ajudar a esclarecer um pouco sobre o assunto, trazemos hoje um estudo publicado em 2018 no Journal of Strength and Conditioning Research, que foi conduzido por pesquisadores da Croácia, Austrália e EUA.

Os pesquisadores dividiram os participantes (que eram homens treinados) em 2 grupos, que treinaram ou 3 vezes ou 6 vezes por semana durante 6 semanas. Ambos treinaram com uma rotina full-body em cada sessão, com exercícios uni e multiarticulares. Foi avaliado a hipertrofia, resistência e força muscular. O volume de treino foi equacionado.

No estudo, ambos os grupos aumentaram a força muscular de maneira muito semelhante. A hipertrofia também foi semelhante. Contudo, não houve melhora na resistência muscular naquele protocolo utilizado.

Os resultados mostram que, nessas condições, treinar 3 ou 6 vezes por semana podem ser eficazes para o aumento da força muscular. Para a hipertrofia, parece que treinar 3 vezes por semana, sob condições de equacionamento de volume, pode ser mais eficaz.

Cabe ao profissional de Educação Física analisar cada caso e desenvolver o programa de acordo com as condições de cada aluno.

Mas, o mais importante é a dica valiosa de sempre: Movimente!

REFERÊNCIA:

SARIC, J. et al. Resistance Training Frequencies of 3 and 6 Times Per Week Produce Similar Muscular Adaptations in Resistance-Trained Men. Journal of Strength and Conditioning Research, 2018.

A prática de exercício físico é um assunto muito sério, implicando diretamente no estado geral de saúde de um indivíduo.

A sua prescrição e acompanhamento deve ser feita por um profissional capacitado (Profissional de Educação Física), que saberá realizar todos os ajustes necessários para prezar pela segurança e eficácia do exercício.

As consequências de um treinamento prescrito por alguém que não está capacitado para tal vão desde não alcançar o objetivo almejado até uma lesão grave.

Se você está doente, procura um médico. Sendo assim, se quer praticar exercício físico, procure um profissional de Educação Física.

Lembre-se que a sua saúde e qualidade de vida estão em jogo.


Movimente!

Treinamento de força para crianças

Quando falamos sobre treinamento de força para crianças, existem vários mitos e tabus a serem quebrados.

Muitos dizem que o treinamento de força é ineficaz ou até mesmo perigoso devido ao risco de lesões. Mas essas afirmações estão erradas.

No entanto, esse tipo de treinamento é seguro para crianças e deve ser encorajado!

O treinamento de força traz inúmeros benefícios para elas, como o aumento da força, a redução de riscos de lesões relacionadas até mesmo à atividades de lazer, controle e redução do peso corporal e controle do diabetes. As crianças que treinam também demonstram melhoras na coordenação motora, na agilidade e equilíbrio.

É importantíssimo que o treinamento seja monitorado por um profissional capacitado e não deve ser feito com cargas elevadas.

Vale lembrar também que a criança deve ser estimulada com exercícios e atividades diversas e variadas. A especialização precoce pode trazer consequências no desenvolvimento.

Se você é criança, jovem, adulto ou idoso, Movimente!


REFERÊNCIA:


Kahrović, I.; Murić, B.; Radenković, O. Efekti primene trening snage kod dece. Društvene & humanističke nauke, v. 2, n. 2, 2019.